ACIVA Inspira: jovens descobrem macromolécula que ajuda a diminuir os sintomas de depressão

Convivendo com casos na família e diante do aumento da doença desde o início da pandemia, dois jovens da região se dedicaram a encontrar componentes que pudessem atuar no combate à depressão. Ana Carolina Rossa Burato, 19 anos, e Artur Alano Daniel, 18 anos, se dedicaram a encontrar um ingrediente natural que pudesse estimular a produção de dopamina pelo organismo e, consequentemente, aliviar os sintomas da doença, que não tem cura. 

Junto com mais dois amigos, um de Florianópolis, outro de Fortaleza (CE), iniciaram as pesquisas por algo que fosse extremamente natural e que não envolvesse substâncias sintéticas. Foi na casca da banana que os estudantes encontraram a macromolécula WRKY26. “Toda a pesquisa foi feita por meio de docking molecular, que é basicamente todo desenvolvido por meio de computador. Fizemos reuniões diárias, treinamentos, tudo de maneira online, para aprender a mexer nos softwares. Com cada um de sua casa, através de métodos computacionais, passamos a testar a interação da macromolécula com os alvos que causam a depressão, à medida que fazíamos os testes foram surgindo resultados e a partir deles tivemos as conclusões, que foram excelentes”, explica Ana. 

Com a conclusão da pesquisa, os estudantes já têm o próximo passo. Eles buscam firmar parceria com universidades da região para dar continuidade. “Os próximos passos seriam fazer análises in vitro e in vivo, para testar e disponibilizar o produto para o mercado. Ainda existem várias etapas, várias liberações que precisam ser feitas pelo Comitê de Ética de Animais, liberação da ANVISA, enfim, são vários trâmites, mas nossa meta é seguir adiante”, destaca. 

Segundo Ana, participar desta pesquisa acrescentou um impacto muito grande em suas vidas. “Não só no mundo acadêmico, mas num geral mesmo, como seres humanos”, revela.

Para o presidente da ACIVA, Alberto Sasso, iniciativas como esta são fundamentais para o desenvolvimento da região. “Nós entendemos que o incentivo à Pesquisa, assim como à Tecnologia e Inovação devem ser reivindicados pelas lideranças regionais. Recentemente, nossa entidade formalizou um ofício ao governador de Santa Catarina, Carlos Moisés, e o Secretário de Desenvolvimento Econômico Sustentável, Luciano José Buligon, solicitando que a região, em especial a cidade de Araranguá, seja reconhecida como um Centro de Inovação. Caso isso venha a acontecer, os ganhos para o Vale serão ainda maiores, pois muitos outros jovens poderão seguir o exemplo de Ana e Artur”, finaliza.

Justamente para difundir iniciativas como a destes jovens é que a entidade divulga estas ações, por meio da série ACIVA Inspira”, finaliza.